Recents in Beach

Usando os Goblins de forma diferente e interessante em suas aventuras de RPG!

Goblins... aqueles monstrinhos fraquinhos que vemos muitos usarem quase como algo descartável em mundos de RPG, como um monstro a ser enfrentado por jogadores de níveis mais baixos e nada mais do que isso. E, sim, claro... eles são criaturas bem adaptadas para serem utilizadas no começo das aventuras, já que são mais fáceis de serem derrotadas. No entanto, um covil goblin e o comportamento goblin podem ser coisas extraordinariamente interessantes de se explorar. São coisas que vão trazer muito mais diversão para o seu grupo de RPG! Então, vou falar rapidamente sobre essas criaturas aqui e depois dar algumas ideias bem legais de como surpreender os seus jogadores.


E hoje quero focar mais na "tentativa de se entrar no território goblin". Eu sei que há toda uma questão envolvendo a sociedade goblinóide e sua estrutura social que também pode ser legal de ser explorada. Mas, nesse artigo em específico, quero focar no perímetro mesmo dos territórios dessas criaturas. E em como ele pode ser explorado pelo mestre para se criar uma aventura emocionante e desafiadora.

E do que falo aqui? Bem, os goblins costumam ter um perímetro razoavelmente extenso em volta do centro de seu covil, seja esse centro localizado em uma floresta ou então em alguma mina. E eles costumam vigiar muito essas áreas. Em primeiro lugar, por serem covardes. E isso é algo importante de se notar. Caso eles sejam pegos em números inferiores, eles sempre vão tentar fugir ou até se oferecer para servir aqueles que são mais fortes do que eles. Até por isso, muitas vezes eles servem a goblinóides mais poderosos, como Hobgoblins e Bugbears, além de respeitarem o sistema de castas da sua própria raça. E sim, goblins possuem castas.

Mas, estabelecido isso, essa covardia por parte deles faz com que esses seres busquem por qualquer tipo de vantagem na hora de enfrentar seus inimigos. E isso os torna extremamente organizados em patrulhar o perímetro de suas terras. Eles sempre terão alguns membros da tribo patrulhando tais locais, mas, na maioria das vezes, usarão alguns dos seus servos para isso, que em geral envolvem lobos e ratos gigantes escravizados por eles.


Só que, além desses animais, os goblins vão se aproveitar demais também das armadilhas para poder surpreender seus inimigos, colocar-se em vantagem e, principalmente, capturá-los.

E aqui entra justamente a mentalidade goblin de que falei anteriormente. E em como devemos levá-la em consideração ao pensarmos sobre os tipos diferentes e criativos de armadilhas que eles podem utilizar para proteger o perímetro de suas terras.


Algumas ideias legais de armadilhas

Bem, quando começamos a pensar em como os goblins podem surpreender os aventureiros, devemos levar em consideração primeiro a maneira como eles pensam. E isso envolve basicamente três coisas. A primeira é se alertarem da presença do grupo invasor. A segunda é se colocar em vantagem em relação ao grupo invasor. E a terceira é de preferência capturar os invasores sem os matar. E isso ocorre, pois os goblins adoram escravizar outras raças. E gostam também de torturar os seus cativos. Então eles sempre vão tentar capturar os inimigos primeiro. E, caso eles sejam fortes demais, vão simplesmente tentar fugir deles.


Por isso, de uma maneira geral, eles vão usar armadilhas como buracos com estacas, que podem ferir os adversários e prender suas pernas, armadilhas com redes para prender suas presas, etc.

Mas quero falar aqui de armadilhas mais criativas do que essas. E farei aqui algumas sugestões:

1) A rede ou buraco, mas com algum tipo de alarme - essa ideia de armadilha se combina melhor com o estilo goblin de pensar. E do que falo aqui? De se ter sim a armadilha de buracos com estacas, bolas de espinhos que caem como maças do céu (presa nas árvores), redes e etc. Mas colocar algum tipo de aviso ou alarme junto com isso, para que os goblins que patrulham a área possam analisar o que está acontecendo e atacar se estiverem em vantagem.


2) A armadilha com alarmes, mas também com lobos - e essa ideia aqui é uma evolução da anterior. Além do alarme que avisa sobre a presença dos invasores, os goblins vão usar lobos também. A ideia é que um local com alguns lobos enjaulados deveria ficar próximo de uma área de armadilhas. Deste modo, quando uma delas é acionada, um mecanismo liberta os lobos também, para que, além dos aventureiros serem feridos ou capturados pela armadilha, os animais sirvam como uma segunda onda de dano ou perigo, aumentando ainda mais a vantagem dos goblins ao tentar capturar sua presa. Nesse caso, os lobos seriam treinados para ferir e não necessariamente matar, para facilitar a captura. Ou, então, no caso de a armadilha ser muito próxima do centro do covil, aí sim ela poderia ser mortal. E os lobos, por isso, seriam muito pouco alimentados, de forma a se tornarem ainda mais famintos e perigosos.

Essa armadilha poderia gerar várias situações legais. Uma delas seria, por exemplo, um grupo habilidoso e cuidadoso achar o local dos lobos sem alertar os goblins. Isso poderia gerar uma interpretação interessante, especialmente se druidas e rangers estiverem na aventura. Quem sabe não seja possível ganhar a confiança dos lobos e os utilizar contra os próprios goblins? Seria algo bem legal!


3) O funil - e essa armadilha é simples e interessante. A ideia seria encher uma determinada área do mato com plantas venenosas, além de arbustos espinhosos. E fazer essa área ser extremamente difícil de se percorrer. No entanto, os aventureiros então encontram algo que parece uma trilha antiga. E aí encontram uma caminho mais seguro para seguir.

Mas é exatamente isso que os goblins querem que eles façam. A trilha correta pelo mato é muito mais escondida. E apenas os goblins, claro, conhecem-na. Logo, um aventureiro pode, quem sabe, achá-la, com um teste difícil de sobrevivência. Ou um goblin pode mostrar para o grupo caso seja ameaçado. No entanto, caso isso não aconteça, os aventureiros provavelmente vão achar que encontraram uma trilha meio antiga e que é possível seguir com mais facilidade por ela. Mas a verdade é que aquilo é apenas um funil, que faz com que os invasores sejam guiados para uma enorme emboscada, podendo ser uma armadilha ou, então, uma combinação de armadilhas, mais lobos e mais goblins, como falei acima. No fim, a ideia é justamente afunilar e controlar o caminho dos invasores para os atacar no momento mais oportuno possível.

E, bem, creio que utilizar uma combinação dessas ideias e entender como os goblins protegem o seu perímetro pode fazer com que simplesmente entrar em um território goblin seja algo desafiador, que pode forçar os aventureiros a serem mais cuidadosos e inteligentes! E é isso, espero que as ideias apresentadas aqui tragam algo de novo e interessante para os jogos de vocês!

Postar um comentário

0 Comentários